ban
Pesquisa no Guia Pet




guias_web
Guia da Embalagem
Guia Construir e ReformarGuia da CulinariaGuia do Turismo e Lazer





submarino


voltar

Entendendo os gatos.
Eles odeiam água e podem ter suas próprias idéias sobre quem é o dono daquela espreguiçadeira que está no canto. Entretanto, gatos geralmente são muito fáceis de conviver, pois suas necessidades são simples. A chave para um relacionamento feliz com o seu gato é entender os instintos que regem o seu comportamento - a necessidade de uma base domiciliar, um território, a caça, atividade sexual e linguagem corporal. A seguir, descrevemos um breve histórico sobre gatos na sociedade e exploramos alguns tópicos importantes que podem ajudar quando você estiver tentando entender o que ele quer.

Um breve histórico sobre gatos. Os egípcios antigos foram os primeiros a domesticar gatos 5.000 anos atrás, quando eram usados para proteger lojas de grãos contra vermes e também valorizados por seu companheirismo.

Mais tarde, foram reverenciados como a reencarnação de Bastet, a Deusa da maternidade e da fertilidade. O alto status dos gatos no Egito contrastou com sua perseguição na Inglaterra Medieval, onde eram considerados sinistros, astutos e maus. Gatos pretos eram particularmente odiados. Os gatos somente se tornariam mais populares no Ocidente durante o século 17.

Por que adoramos gatos?
Porque são leais, amigáveis e companheiros. Porque gostam da companhia de velhos e jovens igualmente. Porque são sensíveis aos nossos humores e compartilham um entendimento comum conosco. Ter um gato é um dos maiores prazeres na vida.

Questão de território.
Seja uma casa no campo ou um apartamento na cidade, gatos gostam de uma base domiciliar segura a partir da qual podem estabelecer seu território. Esse é um comportamento instintivo, de quando os gatos tinham que caçar para sobreviver - quanto maior o território, maior a chance de conseguir mais comida. Machos têm uma maior necessidade territorial que as fêmeas, muitas vezes reivindicando até dez vezes mais.

Gatos usam arranhões, cheiros e sons para marcar limites territoriais.

Machos não-castrados muitas vezes marcam objetos com urina, como outros gatos quando estão disputando status. Territórios podem se sobrepor, especialmente em locais como áreas de alimentação, onde os gatos se encontram. A situação geralmente muda com a chegada de um novo gato na cena, muitas vezes resultando em limites sendo restabelecidos.

Esses comportamentos territoriais são mais evidentes se você tiver mais de um gato vivendo na mesma casa. Geralmente, é uma boa idéia deixar gatos novos se familiarizarem com seu ambiente antes de conhecerem qualquer outro gato ou animal na área. Ainda assim, mesmo um gato solitário gosta de estabelecer seu território. Seu gato pode até disputar a propriedade de um lugar favorito com você.

Muitas vezes existe uma hierarquia entre gatos. Isso pode ser estabelecido por ocasionais demonstrações de agressão. Como o território, o domínio está sujeito a mudanças, especialmente se o gato dominante ficar doente ou for enfraquecido de alguma outra forma.

Mantenha-os ocupados.
Gatos gostam de variedade e estímulo. Se quiser sair de casa, existirão muitas coisas que fornecerão isso. Gatos que ficam dentro de casa precisam de um ambiente rico, incluindo diferentes lugares para dormir ou se esconder, mobília e prateleiras para se mover e, o que é mais importante, muito calor. A postura do seu gato lhe dirá se ele está quente o bastante: esticado e exuberante está bem, encolhido significa que está sentindo frio e talvez não queira sair. Se esse for o caso, lembre-se de fornecer uma bandeja higiênica.

Gatos e água.
Gatos são conhecidos por odiarem água. Até mesmo um banho leve já é o suficiente para fazê-los se secarem e se escovarem obsessivamente. Existem exceções, com gatos Turkish, que gostam de nadar. E quase todos os gatos parecem se esquecer de seu repúdio à água se tiver um peixinho dourado nadando dentro dela. Quanto à água de beber, obviamente você deve se certificar de que seu gato beba sempre o suficiente, para evitar problemas renais.

Caça.
Caçar pode ser desagradável, especialmente se seu gato trouxer a caça para casa. Contudo, puni-lo não levará a nada. O instinto está profundamente enraizado e a habilidade é aprendida enquanto ainda são filhotinhos. Gatos caçam independentemente de estarem muito bem alimentados e podem até levar a caça para você porque querem ser parabenizados. Mesmo assim, existem coisas que você pode fazer para reduzir a caça. Atividades substitutas, como brincar, costumam funcionar, já que ele tem mais estímulo para ficar em casa à noite. Uma outra boa idéia é colocar um sino na sua coleira para avisar os pássaros e outras presas de que ele está na área.

Linguagem corporal.
Além de ronronar quando está contente, miar buscando atenção e até mesmo uivar, seu gato tem um vocabulário extenso e também se comunica através de posturas corporais e pela posição de suas orelhas, boca e rabo. Bom senso geralmente ajudará a entender o que seu gato está dizendo. Por exemplo, os olhos semi-abertos de um gato geralmente são um sinal de que ele está contente e completamente relaxado. Isso muitas vezes é acompanhado pelo ronronar e pelo esfregar entre as pernas do dono, ou então por uma espécie de massagem que ele em quem o está acariciando, abrindo e fechando os dedos e apalpando -um resquício aliás do que os gatinhos fazem para estimular o fluxo de leite da mãe. As orelhas também são muito reveladoras: para frente quando estão em alerta, para trás quando nervosos e totalmente abaixadas e para trás quando estão assustados ou bravos. O rabo também é bastante expressivo: quando aponta para o alto é um indício de boas vindas, balançando levemente, mostra que ele está sentindo prazer e antecipação, ou se estiver agitado ou batendo, é sinal de que ele está irritado. Os donos também aprendem a distinguir os vários tipos de miado, desde o que significa que o gato está procurando o dono ao miado furioso dizendo que ele definitivamente não quer entrar naquela cesta. Impossível esquecer, além do mais, da visão assustadora de um gato com os pêlos espetados para cima, e "cuspindo" ou "assoprando". Quando fazem isso, geralmente eles ficam de lado, para que pareçam maiores ao invasor percebido.

Uma última palavra sobre a língua dos gatos. Como ele a usa não somente para sentir gostos, mas também para cheirar, escovar-se e interagir com outros gatos, é melhor não deixar que ele beije ou lamba as pessoas. Certifique-se de explicar isso para qualquer criança que queira brincar com ele.

Comportamento sexual.
Dizem que uma fêmea no cio está "chamando". Isso geralmente acontece na época de acasalamento (do final do inverno ao final do verão), apesar de gatos que ficam em casa acasalarem o ano todo. Fêmeas que chamam muitas vezes costumam preocupar donos inexperientes, já que podem ficar barulhentas e agitadas, muitas vezes se contorcendo e rolando no chão. Da mesma maneira, os machos podem perambular, brigar e urinar pela casa. A solução para os dois casos é castrar, especialmente se você não quiser gatinhos. Certifique-se de falar com seu veterinário antes, se for isso o que você quer fazer.



Fonte: Whiskas














 
 
Guia Pet & Cia 2008-2017 ©, uma empresa do Grupo Guias Web - Todos os direitos reservados
Normas de uso - Política de privacidade

CSS válido! Valid XHTML 1.0 Transitional