ban
Pesquisa no Guia Pet




guias_web
Guia da Embalagem
Guia Construir e ReformarGuia da CulinariaGuia do Turismo e Lazer





submarino


voltar
<<< Anterior Próxima >>>


ESCOLHA O TAMANHO DA FONTE - A - A

17/05/2012
Bombona vira cesto de lixo e protege animais no PET

Ação do DAEE, que administra o Parque Ecológico do Tietê, é mais um esforço para impedir a alimentação inadequada dos quatis, principalmente


A bombona é um tambor de plástico usado para armazenar resíduos como cloro, água e outras substâncias. Mas, no PET (Parque Ecológico do Tietê) esse material está ganhando outra finalidade: reciclado, se transforma em um recipiente suspenso e com tampa para despejo de lixo, evitando que os animais que vivem soltos no parque se alimentem de maneira errada, com restos de comida deixados pelos usuários.

O DAEE (Departamento de Água e Energia Elétrica), administrador do PET, implantou as primeiras lixeiras e, em lugares estratégicos, ainda em caráter experimental. Penduradas em uma armação de madeira confeccionada artesanalmente, a engenhoca impede que os bichos, principalmente quatis, revirem os detritos, já que as bombonas ficam fora do seu alcance.

É comum os freqüentadores do Parque Ecológico do Tietê encontrarem animais soltos pelo caminho, não só os quatis, mas também capivaras, antas, porcos do mato e macacos. Para se aproximar deles, muitos visitantes oferecem comida que fazem mal à saúde das espécies como balas, salgadinhos e pipoca, o que já é um problema. Além disso, deixam restos de alimentos e embalagens vazias, igualmente nocivos.

O DAEE orienta os usuários a não oferecer nada aos animais, por meio de placas espalhadas pelo local, advertindo sobre os riscos a que ficam expostos. Ingerindo comida inadequada, os problemas de saúde causados às espécies vão desde dor estomacal até eventual morte. Por outro lado, também o visitante se coloca suscetível a ser atacado quando os bichos, de faro aguçado, reconhecerem em suas mãos, por exemplo, algum cheiro familiar de comida.

A monitoração de todos os bichos que vivem no PET é feita pelo CRAS (Centro de Recuperação de Animais Selvagens). O centro atende aves, mamíferos e répteis que viviam em cativeiros clandestinos e foram apreendidos do tráfico ilegal de animais. Após o devido atendimento e tratamento, os bichos são encaminhados para áreas do IBAMA ou enviadas para tratadores legalizados.




Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica



COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA







 
 
Guia Pet & Cia 2008-2017 ©, uma empresa do Grupo Guias Web - Todos os direitos reservados
Normas de uso - Política de privacidade

CSS vlido! Valid XHTML 1.0 Transitional