ban
Pesquisa no Guia Pet




guias_web
Guia da Embalagem
Guia Construir e ReformarGuia da CulinariaGuia do Turismo e Lazer





submarino


voltar
<<< Anterior Próxima >>>


ESCOLHA O TAMANHO DA FONTE - A - A

29/12/2017
Dicas para minimizar stress dos pets com fogos de artifício

Barulhos de rojão, fogos de artifício, música, som alto e o fluxo de pessoas diferentes na casa podem perturbar os animais, deixando-os estressados

Dicas para minimizar stress dos pets com fogos de artifício



As festividades de Natal e Ano Novo são sempre acompanhadas de muita alegria, música, risos e fogos de artifícios. Enquanto as celebrações trazem momentos de felicidade às pessoas, para alguns pets o efeito é totalmente o contrário. Os cães, por exemplo, escutam até quatro vezes mais distante que os humanos, provocando diferentes reações no animal.

A mudança da rotina e o barulho demasiado podem desencadear sintomas de ansiedade, irritabilidade e, até mesmo, pânico nos animais de estimação em geral. “Além disso, é a época dos fogos de artifícios, potencializando o quadro de stress do pet, gerando a mudança repentina de humor, agressividade, medo e, em alguns casos, até a fuga, quando a situação chega a um limite de extremo”, afirma a veterinária da DrogaVET, Andressa Felisbino.

Segundo Andressa, o tutor deve estar atento aos alertas emitidos pelos pets, e prontamente intervir, uma vez que, em episódios mais sérios, os animais podem, inclusive, entrar em convulsão alerta a veterinária.

De toda forma, a especialista afirma que, mesmo com a atenção que se deve dar ao assunto, não é necessário se desesperar. “Algumas medidas simples e paciência podem tornar o final de ano divertido para todos”, comenta a veterinária. Abaixo, algumas dicas para tornar o momento menos traumáticos aos animais de estimação.

1. Medicamentos

Havendo prescrição do veterinário, basta seguir a recomendação em relação à posologia do medicamento. Os mais indicados são os fitoterápicos, como por exemplo, a passiflora e a valeriana, assim como os florais e a melatonina. Todos esses ajudam a minimizar o stress, deixando o animal mais calmo e tranquilo sem ocasionar sedação. Esses medicamentos não têm efeitos colaterais, se usados corretamente”, recomenda a Farmacêutica da DrogaVET, Daiane Cavassin Kasecker.

2. Florais: solução naturalmente saudável

Um dos medicamentos mais indicados nestes casos, em especial para ansiedade, são os florais. Assim como nos humanos, eles agem de forma terapêutica minimizando sintomas psicológicos. “O Rescue é um dos florais mais recomendados pelos profissionais de medicina veterinária sendo ele muito eficaz como calmante natural. Ele pode ser usado na presença de ruídos altos durante tempestades e fogos de artifício, em casos de ansiedade de separação e a adaptação ao novo ambiente, situações essas bem comuns com as quais nos deparamos nas férias e festas de final de ano'', destaca a Farmacêutica Daiane Cavassin Kasecker.

Os fitoterápicos como a Passiflora e a Valeriana também são recomendados quando há necessidade de tranquilizar os animais, já que são considerados calmantes naturais e anti-stress. “Além disso, a Valeriana possui ação ansiolítica, reduzindo a ansiedade naturalmente sem efeitos colaterais. Nos casos em que o pet apresenta dificuldade para dormir, o uso da melatonina tem sido empregado e com excelentes resultados. Esse ativo não é fitoterápico, mas também não ocasiona efeitos colaterais além de possuir ação praticamente imediata”, explica Daiane.

''Lembrando que no caso dos fitoterápicos, o efeito desejado pode levar até 6 semanas para aparecer. Já a melatonina, pode ser utilizada somente nos dias dos eventos estressantes, pois a sua ação ocorre em 30 minutos a uma hora após a administração do medicamento'', aponta a Farmacêutica.

A veterinária Andressa Felisbino informa que, apesar de não haver nenhum tipo de efeito colateral, o dono deve acompanhar o comportamento do animal nos dias subsequentes às festas. “Indicado para situações de stress, depressão, entre outros e afins, o floral pode resolver de imediato. Contudo, se ainda assim o temor e o stress persistirem por mais tempo, a recomendação é acionar o médico veterinário para que ele avalie se será necessário medicar de alguma outra forma”, aponta a especialista.

http://www.drogavet.com




Fonte: Céu Comunicação



COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA







 
 
Guia Pet & Cia 2008-2018 ©, uma empresa do Grupo Guias Web - Todos os direitos reservados
Normas de uso - Política de privacidade

CSS vlido! Valid XHTML 1.0 Transitional